Minicursos - 4h (vagas limitadas)

 

19/09 | Terça-feira | 08:00 - 12:30

 

1*) A prática do Life Design - VAGAS ESGOTADAS
Ministrante: Paulo Cardoso 

Apresentar a prática do Life Design Counseling (Savickas, 2015). Nesse sentido, será feita breve introdução à teoria subjacente a esta prática focada no apoio à contrução de projectos de vida. Seguidamente abordam-se os três grandes momentos da intervenção, analisando especificidades da construção da relação de ajuda e da implementação de tarefas de aconselhamento. A propósito são apresentados vídeos ilustrativos bem como alguns momentos de prática simulada envolvendo os participantes no workshop. Finalmente, analisam-se limites e potencialidades desta modalidade de intervenção a partir de evidência empírica.

 

 

2) Psicologia Positiva e suas relações com orientação profissional - VAGAS ESGOTADAS
Ministrante: Ana Paula Porto Noronha 

A Psicologia Positiva teve sua construção mais fortalecida na década de 1990, quando foi enfatizada a necessidade de valorizar os aspectos mais estruturados dos indivíduos. À época, a missão da ciência psicológica não era se dedicar apenas às fraquezas e aos danos, de modo que deveria se preocupar com as qualidades e virtudes dos indivíduos A Psicologia Positiva vem sendo considerada uma nova corrente científica, que estuda as emoções positivas, as forças e virtudes e que efetuou uma quebra de paradigma, já que durante décadas a Psicologia se preocupou quase que exclusivamente com os aspectos doentes da natureza humana. O presente curso tem o objetivo de apresentar interfaces entre os construtos pesquisados pela Psicologia Positiva com os avaliados quando dos processos de orientação profissional de jovens em transição do ensino médio para a universidade ou mercado de trabalho. Assim, serão discutidos dados de pesquisas realizados com interesses, personalidade, autoeficácia, afetos, otimismo, pessimismo, suporte familiar e social, entre outros.

 

 
3) O uso de imagens no processo de Orientação Profissional 
Ministrante: Diego Rozenbergas Isquerdo

As imagens ocupam um lugar de grande importância na comunicação e elaboração simbólica nas sociedades ocidentais contemporâneas, seja com a publicidade massiva a qual somos expostos, o compartilhamento de mensagens e informações sintetizadas em imagens, seja a popularização da fotografia que permite que cada vez mais pessoas se expressem por esta via. Mais que perceptos que contêm informações por eles mesmos, a maneira que a imagem é apresentada permite diferentes apreensões e reflexões por parte do expectador, levando-se em conta o período, o contexto e sua biografia para tais diferenças. Este processo acontece tanto em níveis conscientes, racionalmente construídos, como inconscientes, no nível da fantasia e dos simbolismos cultural e individual. Partindo deste pressuposto, pode-se pensar em formas de instrumentalizar as imagens em trabalhos de Orientação Profissional a fim de aprofundar as discussões relativas a questões às quais os orientandos possam apresentar dificuldades de acessar apenas pela fala, trabalhar as informações do mundo do trabalho ou entender como compreendem essas informações, por exemplo. Utilizar as imagens como intermediário do eu-outro implica em menor sentimento de exposição ou desconforto por parte dos orientandos e faz a ponte entre consciente e inconsciente. Pautado na Psicologia Analítica de Jung e na Psicologia Grupal de Kaës, este minicurso busca discutir conceitualmente a questão da imagem no contexto da Orientação, passando alguns instrumentos com ênfase em fotografias e forma de pensá-los neste contexto.

 

 
4) Introdução ao teste Perfil Pessoal HumanGuide: uma ferramenta online para identificar a matriz motivacional 
Ministrante: Giselle Müller-Roger Welter 

Cada vez mais o sucesso profissional e a realização profissional tem sido associados à possibilidade de obter satisfação a partir do trabalho, por meio da sintonia entre o perfil motivacional do indivíduo e a atividade profissional exercida. Da mesma forma, dificuldades de relacionamento e conflitos no ambiente de trabalho são muitas vezes atribuídos a diferenças culturais, de valores e de personalidade entre os colaboradores. A crescente demanda por testes de personalidade online para aplicação no contexto organizacional se depara com relativamente poucos instrumentos de avaliação psicológica nesse formato aprovados para uso profissional pelo Conselho Federal de Psicologia, que atendam, ao mesmo tempo, a critérios como rapidez, economia, elevada acessibilidade e praticidade. No Brasil, grande parte dos testes amplamente empregados no contexto organizacional ainda não foram submetidos à avaliação do SATEPSI. Muitos tiveram sua origem na clínica, e sua interpretação foi adaptada para utilização ao contexto organizacional. O HumanGuide® é um instrumento de avaliação psicológica online no formato de escolha forçada. De base psicanalítica, ele visa apreender o perfil motivacional no contexto organizacional, considerando oito fatores de necessidades pulsionais, segundo Szondi: sensibilidade, força, qualidade, exposição, estrutura, imaginação, estabilidade e contatos. Este curso visa apresentar os conceitos fundamentais do HumanGuide® e suas possibilidades de aplicação, em diferentes contextos, além do organizacional. Serão apresentadas e discutidas as principais características psicométricas do instrumento e as análises complementares disponíveis do sistema operacional. Os inscritos receberão senha de acesso para a realização de um perfil cortesia, o qual será analisado e discutido pelos participantes durante o curso.

 

 
5) Orientação Profissional com pessoas com deficiência: possibilidades e desafios 
Ministrante: Leonardo de Oliveira Barros 

A deficiência se apresenta no atual contexto social e cultural como fato que ainda demanda de ampla problematização e políticas públicas a fim de que a inclusão ocorra plenamente para a pessoa por ela afetada. No Brasil, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), estima-se a presença de 45,5 milhões de pessoas com alguma deficiência. Apesar do número expressivo, evidenciam-se inúmeros dificultadores para a inserção de pessoas com deficiência nas esferas da saúde, lazer, mobilidade e trabalho. Em relação ao campo laboral, é necessário que haja o respeito à singularidade da pessoa com deficiência, permitindo que a escolha e trajetória profissional ocorram levando em consideração seus interesses, potencialidades e limitações. Nesse sentido, a Orientação Profissional apresenta-se como campo que pode contribuir para que a inclusão social da pessoa com deficiência ocorra na esfera do trabalho, uma vez que se propõe a auxiliar na reflexão para construção de uma trajetória profissional contextualizada. O curso tem como objetivo discutir o papel da Orientação Profissional e de Carreira frente às pessoas com deficiência. Assim, serão abordados: conceitos de deficiência; a caracterização sociodemográficas das pessoas com deficiência no Brasil; cenário da inclusão deste público no mercado de trabalho; possibilidades de intervenção de carreira junto à população; contribuições da Orientação Profissional e o papel do orientador de carreira nos serviços de reabilitação e inclusão.

 

 

6) Avaliação Psicológica e o BBT-Br: nível introdutório 
Ministrantes:- Lucy Leal Melo-Silva, Mariana Araújo Noce, Érica Tiemi Kato Okino 

Observação: este curso destina-se a psicólogos graduados (inscritos no CRP) e a estudantes de Psicologia, com as situações devidamente comprovadas. O Aconselhamento de Carreira requer competências especializadas do orientador profissional/psicólogo e entre elas a de avaliação de dimensões psicológicas. O curso objetiva iniciar a capacitação de psicólogos para a realização de avaliação de interesses com vistas ao planejamento e à intervenção em processos de aconselhamento, individual ou em grupo, por meio da utilização do BBT-Br (Teste de Fotos de Profissões / Berufsbilder Test): método projetivo para a clarificação das inclinações profissionais, de Martin Achtnich, adaptado ao contexto brasileiro pela equipe de Prof. Dr. André Jacquemin do Centro de Pesquisas e Psicodiagnóstico da FFCLRP/USP. O BBT-Br é um instrumento projetivo que pressupõe oito fatores, ou radicais de inclinação, como elementos básicos para se classificar os interesses das pessoas, como desdobramento de influências ambientais e socioculturais. As estruturas de interesses são investigadas por meio de escolhas e rejeições das atividades, ambientes e instrumentos de trabalho, representados nas imagens que compõem o teste. A classificação das imagens é realizada considerando-se as impressões afetivas dos indivíduos a partir das fotos que compõem o instrumento de avaliação. O programa do curso inclui os seguintes conteúdos: (a) avaliação psicológica no contexto do aconselhamento de carreira; (b) o BBT-Br como método projetivo no Aconselhamento de Carreira (formas de aplicação); (c) história da gênese do teste de fotos, objetivos e princípios; (d) investigações brasileiras; (e) aplicação do teste; (f) apuração do teste; (g) significação dos oito fatores; (h) interpretação dos resultados: análise quantitativa e qualitativa; (i) e a história das cinco fotos preferidas. A ênfase deste curso é na aplicação do instrumento com indicação de referências visando ao aprofundamento teórico necessário para o domínio da técnica.

 

7) O processo de escolha profissional guiado pelas imagens do Sandplay e dos sonhos: uma abordagem junguiana
Ministrante: Patrícia Gimenez 

Percebo o processo de escolha profissional como uma oportunidade do adolescente (ou adulto) que se vê diante do desafio da escolha  vivenciar a importância das suas imagens inconscientes em sua vida. Entendo que a escolha é um poder a ser conquistado e desenvolvido. Na adolescência, o jovem precisa investir para conquistar sua autonomia e poder  delimitar seu “território psíquico”, elementos básicos para conquistar seu poder de escolha. Nesse momento da vida percebemos uma grande ativação de conteúdos inconscientes que precisam ser acolhidos pela consciência, e são elementos básicos para que a escolha se desenvolva de foma mais ampla. Há 25 anos venho desenvolvendo uma forma de trabalhar com a escolha profissional nessa direção: propiciando aos jovens e adultos, uma vivência intensa que engloba a produção  de imagens de Sandplay (criação de cenas com miniaturas na areia) e o exercício de observação de sonhos criando dessa forma, o desafio de olhar e reconhecer sua vida interior e depois explorar de forma ampla a realidade do mundo exterior em que está inserido, buscando assim, um maior embasamento para a questão de escolha, vivida nesse momento de vida. Através de um processo terapêutico de um adolescente, pretendo exemplificar essa possibilidade de trabalho com a escolha profissional.

 

 

8) Como escolho escolher - VAGAS ESGOTADAS
Ministrante: Kathia Neiva

A vida pessoal e profissional nos exige constantemente a tomada de decisões. Entretanto, nem sempre nos damos conta de como processamos nossas decisões, nem temos claro quais são os valores que priorizamos ao decidirmos. A técnica “Como Escolho Escolher” visa identificar o padrão de tomada de decisão em jovens ou adultos, assim como os valores priorizados em situações de escolha, relacionando tais mecanismos a decisões no âmbito profissional. A técnica tem duas versões: uma para adolescentes em fase de primeira escolha e outra para adultos: em reorientação profissional, em fase de escolha de área de atuação profissional ou emprego, em transição de carreira ou preparação para a aposentadoria. A aplicação é realizada em três etapas: (1) Análise de situações-problema que envolvem uma decisão; (2) Análise de decisões I – padrão de decisão; (3) Análise de decisões II - valores priorizados na tomada de decisões. A discussão visa relacionar o padrão de escolha e os valores mais frequentemente utilizados, com a decisão profissional que está em jogo. A técnica pode ser aplicada em intervenções individuais ou em grupo. A utilização deste instrumento é aberta a todos os profissionais cuja tarefa seja a de auxiliar indivíduos a escolher ou planejar sua carreira profissional: orientadores profissionais e de carreira, orientadores educacionais, gestores ou consultores de carreira, coaches de carreira etc.

 

 

9) Construção e realização de projetos de vida no contexto da aposentadoria 
Ministrante: Iuri Novaes Luna 

O minicurso abordará, de forma teórica e por meio de atividades práticas, temas relacionados à construção e à realização de projetos de vida no contexto da aposentadoria. Assim sendo, destacam-se os seguintes tópicos: sentidos e significados do trabalho, centralidade do trabalho, tempo livre, autoconhecimento e qualidade de vida, fatores de risco e de proteção em períodos de mudança, projetos e realizações no ciclo de vida, dimensões da vida, imposições sociais e motivações, rede social de apoio, mitos e vida cotidiana, elaboração de lutos, aposentadoria e realização pessoal. O objetivo principal da atividade é proporcionar reflexões e questionamentos sobre processos de aposentadoria aos profissionais e estudantes envolvidos com as áreas de orientação profissional e desenvolvimento de carreira. Especificamente, a partir dos resultados de estudos sobre o tema e de avaliações de programas de preparação para a aposentadoria realizados em diferentes organizações brasileiras por meio de diversas modalidades, o minicurso irá indicar possíveis inconsistências entre as projeções de trabalhadores sobre a vida após a aposentadoria e as condições de realização que se apresentam. Evidenciará, ainda, a relação dos fatores econômicos, sociais, culturais, físicos e psicológicos envolvidos nos processos de aposentadoria, cuja complexidade frequentemente não é problematizada na construção dos projetos de vida.        

 

 

19/09 | Terça-feira | 13:30 - 18:00

 

10*/**) Career Counseling Based on Contextual Action Theory: A Training Workshop - VAGAS ESGOTADAS
Ministrante: Richard Young 

This workshop is designed to present and practice career counselling interventions based on contextual action theory.  Contextual action theory is a framework for considering and practicing counselling from the perspective of the goals that clients have in their lives both currently and for the future.  The perspective is very close to how people experience their own and others’ behaviour in daily life. It is based on the notion that clients are engaged in goal-directed actions and projects. Counselling is intended to help clients identify and engage in their life-enhancing actions, projects, and career. The following counselling tasks consistent this perspective will be introduced, demonstrated and practiced in this workshop:  creating and maintaining a working alliance, linking counselling and other life processes, identifying systems and levels of projects and action, dealing with emotion and emotional memory, and addressing with suboptimal and detrimental actions. Experiential training will also include eliciting and using client narratives, using video-recording and video playback, and facilitating joint projects. At the end of this workshop, participants will be able to identify and use goal-directed language in counselling with their clients, recognize the importance of client’s joint projects and how to facilitate motivated clients’ joint projects, facilitate conversations in counselling about joint projects and motivated human action, and engage clients with others in their joint projects.

 

 

11*) Contributo da Psicologia para a intervenção no contexto do Ensino Superior - VAGAS ESGOTADAS
Ministrante: Diana Vieira 

Este mini-curso abordará as possibilidades de intervenção vocacional no contexto do ensino superior, partindo do momento em que o estudante ingressa pela primeira vez numa instituição de ensino superior, abordando o percurso académico nos anos curriculares intermédios e focalizando nos anos curriculares finais até à conclusão do curso. É a partir deste último momento do seu percurso que os graduados podem (e devem) ser encarados como “alumni” (palavra latina que significa o grupo dos antigos estudantes de uma instituição), estatuto que permanece ao longo da sua vida. Aliás, a tendência verificada nos últimos anos mostra que cada vez mais as instituições de ensino superior encaram os seus “alumni” como um fator estratégico para a concretização das suas missões institucionais. Neste âmbito, contata-se um investimento crescente no desenvolvimento de serviços específicos direcionados para os respetivos “alumni”.

Efetivamente a intervenção vocacional, entendida de modo abrangente, pode ser concebida como um conjunto de atividades interligadas com o objetivo de facilitar a concretização das escolhas que os indivíduos efetuam nas suas trajetórias educacionais, de formação e profissionais, ao longo da vida (Sultana, 2004).

Dada a pertinência que as questões da empregabilidade dos graduados têm assumido para as Instituições de Ensino Superior, um maior enfoque será dado às atividades de intervenção vocacional facilitadoras da transição do ensino superior para o trabalho.

Através de uma metodologia interativa que inclui a realização de atividades práticas, espera-se que os participantes deste mini-curso adquiram uma perspetiva abrangente sobre as possibilidades de intervenção vocacional no contexto do ensino superior, dotando-os de ferramentas de trabalho que permitam o desenvolvimento de novas atividades do foro vocacional nos seus contextos profissionais.

 

12) Aconselhamento de carreira e o BBT-Br na estratégia clínica: nível avançado 
Ministrante: Lucy Leal Melo-Silva, Mariana Araújo Noce, Érika Tiemi Kato Okino

Observação: este curso destina-se a psicólogos graduados (inscritos no CRP) e a estudantes de Psicologia, com as situações devidamente comprovadas. Recomenda-se conhecimento prévio e uso do BBT-Br. Em decorrência das aceleradas transformações que ocorrem no mundo do trabalho e às inúmeras transições de carreira que os profissionais enfrentam ou enfrentarão, os psicólogos que atuam em Orientação Profissional e Aconselhamento de Carreira encontram-se frente a duas problemáticas: (a) necessidade de revisão e atualização de sua carreira; e (b) necessidade de educação continuada com vistas ao aprimoramento teórico e técnico que o instrumentalize no exercício das funções de orientador especificamente na tarefa de avaliação de interesses. Este curso objetiva propiciar conhecimento mais aprofundado sobre o uso do BBT-Br (Teste de Fotos de Profissões / Berufsbilder Test) em processo de Aconselhamento de Carreira, individual ou em pequenos grupos. O BBT-Br é um método projetivo para a clarificação das inclinações profissionais, de Martin Achtnich, adaptado ao contexto brasileiro pela equipe do Centro de Pesquisas e Psicodiagnóstico sob a coordenação do Prof Dr. André Jacquemin. O curso visa articular competência técnica e científica para o uso mais aprofundado desse método de diagnóstico e intervenção. O conteúdo programático está organizado nos seguintes itens: (a) o uso do BBT-Br no processo de aconselhamento de carreira; (b) estudos de caso; (c) treino na interpretação dos resultados (análise quantitativa, qualitativa e a reversão nos fatores); (d) a história das cinco fotos preferidas e sua utilização no diagnóstico e na intervenção; (e) a integração e interpretação de dados obtidos no processo com os resultados do BBT; (f) o BBT-Br e a história de carreira (life design); e (g) o BBT-Br como instrumento de avaliação de resultados do processo de intervenção (procedimento complementar). A ênfase deste curso é no treino para interpretação de protocolos e na articulação das informações obtidas no processo de Aconselhamento de Carreira, a fim de propiciar reflexões dialógicas com os orientandos para que eles possam atribuir sentidos às suas escolhas.

 

 

13) Aconselhamento de carreira para adultos em transição - VAGAS ESGOTADAS
Ministrantes: Manoela Ziebell de Oliveira, Alyane Audibert

O ingresso na era da informação, a partir dos anos 90 resultou em importantes impactos para as relações laborais, na medida em que postos de trabalho foram extintos ou transformados para atender as novas demandas do mercado de trabalho. Uma evidente consequência dessa mudança foram as transições (voluntárias e involuntárias) mais frequentes entre empregadores ou status de emprego. Em atenção a esse movimento, a literatura científica vem apresentando evidências de que indivíduos que se preocupam com seu planejamento de carreira, refletem sobre as próprias competências e limitações e exploram constantemente as possibilidades de desenvolvimento disponíveis, entre outros comportamentos proativos, tendem a desenvolver maior autonomia sobre suas decisões e competências necessárias para o enfrentamento de transições de carreira. Neste mini-curso serão abordados aspectos considerados fundamentais em processos de aconselhamento para a transição de carreira em adultos: a reflexão sobre si; a construção da narrativa de carreira; os papeis ocupados e a saliência de papeis; as estratégias de apresentação e busca de oportunidades no mercado de trabalho. O trabalho será realizado a partir de elementos teóricos e práticos com a finalidade de instrumentalizar teoricamente e tecnicamente os participantes para processos de aconselhamento com adultos.

 

14) Contribuições de "Conversas do Elpídio" para a escolha profissional 
Ministrante: Marilda Aparecida Dantas

O objetivo deste minicurso é apresentar e discutir a perspectiva da Teoria Social Cognitiva de carreira. A proposta teórica está voltada a pesquisar, compreender, analisar e intervir no campo de desenvolvimento de carreira, enfatizando os papéis dos pensamentos autorreferentes na motivação e no comportamento humano, tais como percepções de autoeficácia e expectativas de resultados. Serão abordados modelos teóricos como o de desenvolvimento de interesses, em que se explica a maneira como as pessoas desenvolvem seus gostos ou não gostos sobre as atividades acadêmicas e de carreira. E o modelo de escolha acadêmica e/ou de carreira no qual se incluem objetivos de escolha de carreira/metas acadêmicas, ações destinadas a implementar a escolha e realizações posteriores de desempenho. A série “Conversas do Elpídio”, inspirada na Teoria Social Cognitiva de Carreira, refere-se a uma coleção de livros direcionados a estudantes do ensino médio que dentre as temáticas abordadas destaca-se a exploração e o planejamento quanto ao futuro acadêmico/profissional. O livro O futuro está logo ali, Elpídio – Entre nesta conversa sobre pensar o que vem adiante, cujo conteúdo, guiado por questões, reflexões e busca de informações sobre o desenvolvimento de carreira do personagem Elpídio, um estudante reflexivo sobre sua vida acadêmica e profissional, é que serve de embasamento para se pensar em ações voltadas para a orientação profissional.

 

 

15) Minha História de Carreira (My Career Story): o uso de exercícios autobiográficos no planejamento de vida/carreira - VAGAS ESGOTADAS
Ministrantes: Marúcia Bardagi, Claudia Sampaio Corrêa da Silva 

As escolhas de carreira colocam às pessoas questões quanto ao sentido que se deseja dar à própria vida. É importante que o indivíduo reflita sobre a sua história para se compreender melhor e pensar sobre como o trabalho pode ser uma via para expressar a pessoa que deseja ser. A narrativa da história de vida possibilita dar significados aos planos e escolhas de carreira. Compartilhar e revisar a própria história facilita a construção de um novo olhar quanto às perspectivas de futuro. A partir de uma abordagem construtivista do aconselhamento de carreira, as atividades propostas pelo livro de exercícios “Minha História de Carreira” (MHC) podem ser utilizadas individualmente ou em grupo e visam auxiliar na autorreflexão, na narrativa de uma história de vida com propósito, que integre os capítulos passados e presentes com as perspectivas de futuro. Trata-se de uma ferramenta de auxílio para o orientador profissional no trabalho de aconselhamento. Esse workshop apresentará inicialmente alguns pressupostos teóricos que fundamentam as atividades do MHC, bem como abordará a estrutura dos exercícios, seus objetivos e suas possibilidades de interpretação. Ainda, serão fornecidos exemplos do uso da técnica em processos de aconselhamento de carreira de adolescentes e adultos em diferentes contextos. 

 

 

16) Orientação profissional na perspectiva sócio-histórica 
Ministrante: Silvio Bock

No curso Orientação Profissional na perspectiva Sócio-Histórica pretendemos apresentar os pressupostos da abordagem sócio-histórica em orientação profissional assim como as atividades desenvolvidas junto aos orientandos. Abordaremos os seguintes assuntos: abordagens tradicionais versus abordagem socio-histórica (teorias); a visão da abordagem sócio-histórica sobre vocação, interesses, habilidades (e testes vocacionais), informação profissional, historia de vida, trabalho. Isto tudo sempre aliando teoria e prática.

 

 

17) Escala de Autoeficácia para Escolha Profissional e suas constribuições para o processo de orientação profissional
Ministrante: Thaline Moreira

O processo de orientação profissional envolve diversos caminhos e possibilidades de atuação, sendo que o seu principal objetivo é promover o autoconhecimento do indivíduo e auxiliá-lo a realizar uma tomada de decisão. Entre a gama de construtos que podem ser utilizados neste processo, encontra-se a autoeficácia para a escolha profissional, que se refere ao quanto o indivíduo acredita que pode se engajar nas atividades de decisão profissional. Este construto tem sido explorado em diversos países, sendo que no Brasil ele tem sido avaliado pela Escala de Autoeficácia para Escolha Profissional (EAE-EP). A utilização deste instrumento permite conhecer as crenças de capacidades dos adolescentes, podendo avaliar o quanto ele se percebe capaz de executar um determinado comportamento. Assim, a EAE-EP possibilita ao psicólogo identificar em que nível o adolescente se encontra quanto a essas crenças e comparar com as suas habilidades reais. Ela é composta por quatro fatores, são eles: autoavaliação, coleta de informações ocupacionais, busca de informações profissionais práticas e planejamento de futuro, além do escore geral. A partir da avaliação destes fatores, um plano de intervenção poderá ser estruturado, sendo que a aplicação desta escala pode tanto ocorrer na fase de planejamento como ao final da intervenção (pré-teste e pós-teste), podendo ser verificada a eficácia da mesma. O curso tem como objetivo apresentar a Escala de Autoeficácia para Escolha Profissional, explorando a sua contribuição no processo de orientação. Também será abordado como ocorre a sua aplicação e correção, além de como utilizar os resultados no momento do planejamento e finalização da intervenção. Pretende-se também discutir novas formas de se trabalhar o conteúdo dos itens e os resultados com o orientando.

 

 

18) Coaching e orientação profissional - VAGAS ESGOTADAS
Ministrante: Rafaela de Faria

​Sabe-se que é importante iniciar diálogos com relação a novos temas que entram em pauta nas áreas de atuação de coaching e orientação profissional. A distinção dessas duas possibilidades de trabalho em carreira é uma tópico já debatido e sem conclusão, sobretudo com relação à definição de fronteiras entre uma prática e outra. Portanto, percebe-se que é necessário um espaço de discussão com a comunidade acadêmica e profissional que trabalha com o desenvolvimento de carreira sobre as semelhanças, diferenças e possibilidades de articulações desses dois processos na construção de conhecimentos teóricos e práticos do desenvolvimento de carreira. O encontro em forma de minicurso ocorrerá por meio de atividades vivenciais, teóricas, estudos de casos e pesquisas de mercado, permitindo a identificação do conhecimento prévio dos inscritos a respeito do coaching e da orientação profissional, facilitar o debate e produzir reflexões conceituais e práticas sobre a temática proposta. Além dos desafios tradicionais destes serviços, a cada dia surgem novos obstáculos que exigem um posicionamento crítico sobre o passado, presente e futuro dessas concepções e atuações, esse espaço dentro de um congresso incentivará que os participantes sejam transformadores ativos dos contextos em que estão inseridos.

 

 

* Curso exclusivo para associados da ABOP, sujeito à disponibilidade de vagas

** Curso em inglês SEM tradução simultânea